6 de ago de 2010

Genseishin Justirisers Souchaku Chikyuu no Senshitachi (Game Boy Advanced)


Essa semana no meu blog está rolando a Semana Tokusatsu, aonde diariamente temos um jogo resenhado, e estou trazendo pra cá, um desses jogos, que é Genseishin Justirisers Souchaku Chikyuu no Senshitachi, por ora chamaremos apenas de Justirisers.

Genseishin Justirisers Souchaku Chikyuu no Senshitachi
Produtora: Konami
Desenvolvimento: Konami
Plataforma: Game Boy
Advanced
Gênero: Beat’em up
Jogadores: 1
Em 2003, a produtora Toho (A mesma que fez Godzilla e Cybercop) criou o
início da trilogia Choushinsei com a série Gransazers, em 2004 tivemos a sequência Justirisers (E em 2005 concluiria com Sazer X), que ganhou um jogo para o Game Boy Advanced por conta da Konami.

O Jogo
Vou ser sincero: Nunca me passou pela cabeça assistir a Justirisers, não por conta da qualidade da série, mas por falta de locais para download da mesma e legendas. Atualmente o
Japasubs tá remediando isso, se não me engano. Pois bem, vou tratar de inventar algo: Um tal de Kaiser Hades (Imperador Hades), um sujeito DO MAAAAAAAAAL, resolve colocar seus asseclas pra
destruir maquetes em Tóquio, ou outro lugarzinho aí do Japão e os Justirisers, heróis da justiça, liberdade e todo aquele blá blá blá, resolve sair espancando dublês por diversos locais num beat’em up bacana.

Jogabilidade:
Lembra muito os beat’em ups, mas só tem um plano de progressão (sem profundidade), escolhe-se entre Riser Glen, que utiliza uma espada como sub arma (é possível trocar o soco normal pela arma), Riser Kageri, que usa uma espécie de Garra e Riser Gunt, que usa uma arma. Cada um deles tem atributos diferentes e possuem um ataque especial, que se utiliza da barra de energia (abaixo da barra de vida) e da barra de espírito, que enche conforme se espanca os inimigos com as mãos (com as armas não enche). As fases são dividas em quatro setores, e no quarto, enfrenta-se um boss. A dificuldade do jogo é na medida, porém não vai ser incomum ser espancado por soldados rasos, embora os setores sejam relativamente curtos e seja difícil perder vidas. Após vencer a batalha contra o Boss, há uma luta contra um Kaijuu (Monstro gigante), com o mecha e nada mais é do que um Mashing Button, simples e prático.
Gráficos:
Em termos de jogo de Tokusatsu, esse é um dos mais bonitos que eu já vi, mostra a potência 2d do GBA e os cenários são variados, embora as minhas screens sejam de poucos cenários. Os inimigos são repetitivos (Soldado raso, soldado raso com bastão, soldado raso azul, soldado raso com pistola, soldado raso GORDO), pelo visto Soldado raso é que nem flamenguista, você encontra em tudo que é lugar, hehe! Enfim, percebe-se o cuidado que tiveram para passar o clima da série para o jogo.
Sons:
Padrão da Konami. Ou seja, alta qualidade, mesmo o hardware sonoro do GBA não sendo uma brastemp (tem muita melodia que fica nhé, por exemplo, o hack de Pokémon Gold do GBA, mesmo sendo as mesmas músicas do GBC refeitas no GBA, ficou sem sal, ao contrário das BGM’s épicas do Pokémon Gold original), a Konami fez um belíssimo trabalho. E ainda há as vozes, que são as dos atores da série, o que conta muito positivamente.
Finalizando:
Na minha opinião, esse é o jogo de Tokusatsu mais bem feito, diverte a valer e pode ser jogado tanto por iniciantes em Tokusatsu (Apresenta uma nova série), quanto os veteranos (Fidelidade gráfica ao seriado) e os que não curtem Tokusatsu (é um bom jogo), só não merece 10 por conta das toneladas de texto (em japonês) e dos soldados rasos que te espancam sem dó.
Nota: 9,5/10

Um comentário:

  1. Parece ser divertido o joguinho... mas qual é o Beat'n Up que não é divertido????? kkk

    obs: não consigo pronunciar o nome desse jogo ma ném ferrando OO

    ResponderExcluir