7 de mar de 2011

Torturas Eletrônicas

Olá, provavelmente alguns de vocês já me conhecem do aposentado blog http://9voltclub.wordpress.com/ e atualmente estou no http://sonictales.wordpress.com/ . Estou de volta aqui pra falar mais de games mas desta vez procurarei uma forma mais direta de falar, começando aqui hoje com uma postagem chamada:



TORRRRTURA ELETRÔNICA!
Tema de hoje: Arnold Schwarzenegger no NES!

A Tortura temática nada mais é do que eu me submetendo aos joguinhos... Até minha paciência se esgotar e ir para o próximo jogo. O problema é que os temas costumam ser dos piores! Mas vamos para o tema escolhido!


Arnold Alois Schwarzenegger é um ex-fisiculturista que se meteu a ator nos anos 70, fazendo papéis dos mais canastrões, mas conseguiu milagrosamente um grande sucesso sucesso nos anos 80 com filmes que tinham mais ação que roteiro.


Óbvio que softhouses "caronas" começaram a desenvolver títulos baseados nos sucessos do Arnold e vindo dos anos 80, é claro que eles se destacariam entre as bizarrices do NES.


Quanto tempo vocês acham que eu vou aguentar aqui jogando isso? Façam suas apostas!


Parece mais não é! Power Blade não é com o Arnold, e infelizmente não irei jogá-lo!


Tortura Nº1 – The Terminator, by Mindscape –

OK, aqui está um jogo com cenários deveras estranhos! Aqui você não joga com o Arnold, ele é o inimigo. A primeira visão que tenho é de um esgoto de plataformas desproporcionais ao tamanho do seu personagem. Até a parte com esteiras rolantes(num esgoto?) é desproporcional! O level desing é carente de criatividade. Enquanto vou passando a fase sou atacado por goteiras verdes(?!), vários Terminators, e vários Arnolds!

HAM?! A animação dos personagens tenta seguir um padrão realista, mas não consegue, deixando tudo parecido um festival de marionetes, o que deixa a jogabilidade confusa. Quando finalmente saí do esgoto, tive a visão da cidade, mas parecia um lixão. Acabei morrendo no primeiro inimigo que me atacou... E NÃO TÊM CONTINUE?! Game Over . THE END

Aguentei por: 8 minutos

Tortura Nº2 - Terminator 2, by LJN Toys –
Esta softhouse é uma notória fazedora de porcarias, mas talvez este seja seu melhor título... o que não significa que não seja uma bela porcaria!!! Controlando o Arnold, enfrente 1000 inimigos iguais de uma só vez, todos parecendo que acabaram de sair de um show de Heavy metal! Apesar de você ser um Terminator, ele é fraco e precisa de vários socos pra derrubar os humanos.
 Jogar com um Terminator fraco e desarmado já estava me dando nos nervos. Depois de muito apanhar pra um chefe que parece o Jason do “Sexta-feira Treze”, ganhei uma moto e uma arma! Que feliz eu estava, mas começou a fase, não durou 5 segundos, bati a moto e foi GAME OVER! NOOOOOOO!!

Aguentei por: 10 minutos

Tortura Nº3 - Total Recall: O Vingador do Futuro, by Acclaim/Interplay –
Não só o Exterminador é do Futuro, mas o Vingador também. Já o jogo é sem Futuro. Esta é uma das obras MAIS TRASH JÁ FEITAS! Você joga com o Arnold vestido com uma nonsense roupa de exército, e ele anda marchando o tempo inteiro. Enquanto você marcha, um barbudo parecido com Raul Seixas pode te atacar ao estilo “Pegadinha do Malandro! Háá”! Se isso acontecer você muda de tela como se fosse um RPG estilo Final Fantasy, mas obviamente não tem batalhas de turno aqui.

Então temos que socar a cara do Raul umas 3 vezes antes de poder sair dessa tela. Nas ruas o jogo continua cheio de bizarrices, você é perseguido pelo José Serra, de uma parede são mãos que tentam te socar(estilo “Maratomba do Faustão”) e assassinos se escondem dentro de latas de lixo que não caberiam nem nas cabeças deles... Mas o pior é no final, você luta contra a Sharon Stone, que te ataca com tiros e pulos (Super Maria?) e na sequência o José Serra tenta te metralhar e eu não soube o que fazer pra escapar porque ele não morre!!! Destaque pra trilha sonora chata!

Aguentei por: 7 minutos

Tortura Nº4 – Predator, Pack in Video –
Talvez o pior jogo desta sequência! Controlando o Arnold vestido de rosinha(Huuuum boiola), ande nos cenários com level desing ainda mais sem noção do que as fases do Terminator! O controle do personagem é muito ruim. No inicio o Arnold está desarmado de novo, apesar de ele estar sempre armado no filme! Não é possível atacar inimigos abaixado enquanto estiver desarmado, o que complica a vida porque a maioria dos inimigos são pequenos aliens!
 Na primeira fase se você subir na pedra do lado esquerdo tem uma arma, mas se você cair na plataforma de baixo, preparem-se pra morrer! Tem um muro pra se quebrar com as piores granadas do universo! É impossível controlar aquilo! Pra completar tem um fauno(acho que é um fauno) que fica te enchendo o saco! Passando a fase 1 a coisa fica mais sem noção ainda e eu desisti de vez do jogo. Aliás, devo acrescentar, aumentem o volume pro máximo e vejam que belo soundtrack!

Aguentei por: 5 minutos

Tortura Nº.5 - The Last Action Hero, by Sony –
Hahahaha! A Sony era amiguinha da Nintendo! Olha que beleza eles colocaram no Nes. Pra começar tem essa imagem que demorei pra entender o que significa:

O jogo não chama atenção e tem a jogabilidade pesada! Tudo que está ao seu redor tenta te atacar, As mesmas latas de lixo e os mesmos barbudos imitadores de Raul Seixas do Total Recall também estão aqui. Já estava de saco cheio dos outros títulos e ainda me jogam essa coisa com jogabilidade questionável, e quando chego no chefe o game over fica... TRAVADO! Meus amigos, não aguentei e ARREGUEI!

Aguentei por: 3 minutos!

Tempo total de tortura: 28 Minutos!

Minha cara ao final do processo:

Um comentário:

  1. É, realmente tinham jogos de filmes no passado que eram horríveis, mas vale a pena destacar que nem todos eram assim, vide Robocop 3 de NES, que tem a trilha sonora de NES mais bem trabalhada que já vi.

    Mas convenhamos, eles bem que se esforçaram, vamos considerar isso. A única vantagem disso tudo é que esse cenário se mantém até hoje, são poucos os jogos baseados em filmes que são bons, isso mostra que a desculpa não é nem a tecnologia, mas sim que eles REALMENTE não sabem fazer nada baseado em algo já existente.

    ResponderExcluir