15 de mar de 2011

The Shadow (Proto) (Snes)

O jogo de hoje reserva uma curiosidade bacana. Embora nunca tenha sido lançado oficialmente, versões não finalizadas do jogo vazaram e foram comercializadas. Inclusive eu mesmo cheguei a jogar o jogo por volta de 2000, 2001 numa dessas trocas de cartucho, coisa que acontecia com muita frequencia antigamente, quem tá na casa dos 20, 25 anos sabe do que falo. Entre essas trocas, lembro de ter trocado um Fatal Fury Special por um Speedy Gonzalez e trocado depois esse Speedy Gonzalez por um Fatal Fury 2, sendo que esse era cartucho de Super Famicom. Mas nessa de empresta cá, troca lá, conheci esse jogo (cujo fato de não ter sido lançado era desconhecido de mim) que, cerca de seis meses depois descobri que era baseado num filme de 94, exibido aqui como "O Sombra", estrelado por Alec Baldwin, que mais recentemente descobri ter sido baseada numa série de Quadrinhos dos anos 30.


The Shadow (Versão Proto)

Produtora: Ocean

Gênero: Beat'em Up

Plataforma: SNES



O jogo, segue o enredo do filme, e você assume o papel de Lamont Cranston, que após a primeira guerra, sucumbe ao seu lado violento, e numa viagem ao Oriente, conhece a entidade Tulku (no filme, dublado por Barry Dannen). Uma série de eventos acontecem, e Cranston retorna sua vida normal em Nova York, usando de sua imagem de playboy para cobrir suas ações como "O Sombra", que com uma rede de informantes, age como um vigilante da noite novaiorquina (Familiar*, não?). Shiwan Khan, o último descendente do déspota Genghis Khan, e também outro aluno de Tulku, inicia seus planos de dominação mundial, Shadow é o único que pode pará-lo. Neste review, muitas informações sobre o filme foram resumidas para não alongar muito o texto, então não enche meu saco!


*E sim, Shadow inspirou de certa forma a Bob Kane e Bill Fringer a criarem o Batman.

Como se trata da análise de uma versão não finalizada, vamos nos ater a algumas falhas do jogo, antes de falar da jogabilidade em si. Primeiro, os agarrões são completamente inúteis. Podem até te ajudar a arremessar um inimigo do outro, mas vai causar um dano ínfimo ao oponente. As sequências de soco que você aplica em seus inimigos, algo primordial em beat'em up's, são facilmente quebráveis pelos adversários. As sessões de tiroteio (que lembram as de Punisher, da Capcom) tem falhas, pois no primeiro apertar do botão, aparece uma mira (automática) e nisso já se perde tempo.


Agora, voltando a jogabilidade, é a tradicional de um beat'em up, com algumas ressalvas. De principal é seguir em frente e espancando meliantes e chefes. Há, além da barra de vida normal, uma segunda barra de energia (no lado direito), que serve para usar três técnicas, uma é a invisibilidade, boa para as seções de tiro do jogo, outra habilidade é um dash que dá uma trombada nos inimigos. A outra habilidade é uma bomba semelhante ao tubo de ensaio usado por Batman, em Batman Returns, da Konami (SNES) e causa dano em muitos inimigos. O número de combos é limitado, ainda mais pelas falhas de não ter sido finalizado.




Graficamente é competente, não lembro muito do filme, tampouco li alguma das comics (são BEM antigas, sabem?), mas transmite a sensação de estar numa América pós depressão, com os cenários depressivos até. As fases são bem variadas e há uma seção em que se joga com motos. Os inimigos, apesar de não serem variados, são bem feitos, os mestres idem. O cenário do parque particularmente me agradou, só não sei como uma Casa mal Assombrada dá em um Ringue de Boxe, mas relevem.


Sonoramente não é ruim, mas não se destaca em nada, nenhuma melodia em si do jogo é recordável. Aliás, até recomendo ouvirem qualquer outra coisa, até mesmo aquele escroto do SOU FODA, quê que eu to dizendo? Apaga, apaga! Enfim, a trilha de The Shadow é insossa, não incomoda, mas também não é memorável.


Finalizando, se os problemas fossem sanados numa possível versão final, The Shadow seria um bom jogo, mas do jeito que está, leva apenas um 62/100 e nosso selo Cartman de qualidade.

The Shadow (SNES) - Nota: 62/100

5 comentários:

  1. Estranho. Já ouvi falar nesse jogo, mas pensei que era lançamento oficial e não um protótipo.

    Só uma pequena correção: O Sombra não nasceu nos quadrinhos. Assim como Conan, o Bárbaro e o Besouro Verde, este personagem foi criado nos Pulps, livrinhos de bolso bem vagabundos que eram mania na década de 30. Só depois o Sombra ganhou suas versões em quadrinhos, algumas muito boas e outras um lixo.

    Pulps ainda podem ser encontrados com relativa facilidade em bancas de jornal, principalmente os de faroeste e de histórias romanticas, mas não usurfruem nem 1 milésimo da fama que tinham nos anos 30.

    ResponderExcluir
  2. @Oraculo:
    Pois é, vivendo e aprendendo... Me confundi na hora de pesquisar as infos (o resumo mesmo da história do filme foi resumido) e acabei me embaralhando.

    @Solo Player

    Infelizmente The Shadow é Solo Player Apenas, mas quem seria o parceiro de shadow se fosse 2 player? A psiquica doidona?

    ResponderExcluir
  3. Me lembrou demais aquele Batman GIGANTE pro SNES, no estilo Final Fight! Vou atrás desse protótipo hehehe!

    ResponderExcluir
  4. @Cosmão
    Batman gigante? Seria o Returns? ele é um dos maiores Batman que já ví!hahahahah!

    @Kyo
    Tambem pensei que fosse um lançamento oficial!
    Há muitos anos atrás, epoca em que haviam varias videolocadoras de games!

    Uma em especial vendia esse cartucho como original e talz e até mesmo sua locação!

    Internet é uma benção mesmo nos dias de hoje, hahaha!
    Mas irei conferir, gosto de Beat´n Ups!

    ResponderExcluir