25 de jul de 2010

Raiden (Arcade/Mega Drive/SNES/Playstation)


Raiden/Raiden Trad

Produtora: Seibu Kaihatsu (Arcade/Mega Drive/Playstation)/Toei (SNES)
Desenvolvedora: Seibu Kaihatsu (Arcade/Playstation)/Micronet (Mega Drive)/Micronics (Snes)
Gênero: Shooter Vertical
Jogadores: 1/2
No ano de 1990, a produtora japonesa Seibu Kaihatsu lança nos Arcades, Raiden. Um Shoot em’ up vertical que se prolongaria numa série durante quase 20 anos (O último foi lançado pra Xbox 360, Raiden IV) com continuações e spin-offs. Hoje, lançaremos um olhar crítico sobre a primeira versão, que foi portada em 1991 para o Mega Drive e em 1992 para o SNES com o nome de Raiden Densetsu (Raiden Trad nos EUA). Em 1996, a versão de arcade foi portada para Playstation na compilação Raiden Project (Que engloba os dois primeiros jogos de Arcade, com seletor de tela, vidas e dificuldade)
Nota: Quando eu falar Arcade no review, contem a versão Playstation também, ok?

História:
No ano longínquo de 2191 (de acordo com a Wikipédia), as forças extraterrestres DO MAAAAAAAL invadem a terra, então cabe a você, pilotar a nave Raiden e sair atirando em tudo que se mexer e o que ficar parado também, desde que atire em você. Sem rodeios ou conflitos psicológicos profundos.
Gráficos:
Arcade:
No Arcade tudo é muito bonito, contando com “fogo” em alguns inimigos antes deles irem pro saco de vez (foi um porre fazer isso no mame e tirar a Screen), os cenários são bem detalhados e com construções bem feitas, a medida de um arcade da época. Os inimigos, apesar de variados entre si, são repetidos exaustivamente nas fases, mudando uma ou outra cor, as vezes. Muitas vezes, principalmente nos chefes, saraivadas de tiros virão em sua direção e completará o bom espetáculo de Raiden.
Mega Drive/Snes
Como estamos nos anos 90, são poucas as perdas em relação a jogos de nave portados pra consoles caseiros. (O port de SNES de aero fighters por exemplo é bem fiel, até no Engrish) Os gráficos são bem competentes, os cenários bem construídos e variados e os inimigos são un tanto genéricos. Ok, nada é perfeito. As cores são bem dispostas, começando com tons claros enquanto se está na terra, chegando ao escuro espaço sideral nas últimas fases (que são um tanto repetitivas). Os chefes são bem diferentes entre si, o que não causa aquele efeito “deja vu” no jogador. O efeito de fogo foi retirado, além de ter menos inimigos que a versão Arcade por conta das limitações dos consoles, além de ter um tipo de tiro a menos que a versão maior.
Jogabilidade:
Arcade:
Como todo Shooter vertical da época, eram dois botões utilizados, um para os tiros e um para a bomba. O legal é que havia três tipos de tiro, indicado pelo power-up,vermelho representa o tiro padrão, que conforme se vai fazendo upgrades coletados nas fases, se assemelha ao famoso spread fire de contra, o azul representa um laser que na minha opinião é um tanto inútil sozinho, com upgrades fica um pouco melhor, e o verde representa um outro laser, bem mais útil que o azul, principalmente com upgrades. A Bomba pode ser usada como escudo em certas situações, mas as vezes pode ser inútil ou tarde demais se não souber quando usar. No fim, tudo depende de reflexos, agilidade e de qual tiro se adapta ao seu estilo de jogo. Ah, no Arcade, quando o sua nave é destruída, os destroços dela podem atingir os inimigos.
Mega/Snes
Quando se passa um jogo do Arcade pros consoles domésticos, sempre é pensado em algo que não os faça ficar frustrados com a dificuldade imensa do jogo original, e isso fez a diferença em Raiden. O jogo para os padrões de shmup de hoje, não é tãão difícil, mas antigamente se perdiam fichas facilmente em qualquer boss. O jogo tem obviamente seleção de dificuldade, aumento de vidas (e de bombas na versão SNES) e a opção mão na roda para os jogadores, o Rapid Fire, que consiste em um “botão turbo” disfarçado, ativando essa opção, é só deixar o botão de tiro pressionado para fuzilar extraterrestres DO MAAAAAAAAL. A Bomba também foi reprogramada, e ao invés de destruir apenas a área da explosão, também afeta os inimigos que estiverem na tela (um baita recurso cretino, mas sou cretino mesmo, o que posso fazer?). Uma grande vantagem da versão SNES em relação a do Mega, é que quando você morre, volta do mesmo lugar, como em um shmup vertical normal, na versão de Mega, a nave volta um pouco antes na tela e tem uma pequena pausa, isso causa uma pequena “quebra” na jogabilidade do Mega, o que faz repetir pequenos trechos da fase quando morre. E como dito no trecho Arcade, o tiro verde foi removido das versões caseiras de Raiden Trad.
Sons:
As músicas e os efeitos sonoros da versão Arcade são fantásticos, embora as música sejam encobertas pelos fantásticos efeitos sonoros, tanto dos tiros quanto das explosões. Na versão mega, as músicas são fiéis as do arcade, e dá pra ouvir bem melhor, porém os efeitos dos tiros são um tanto quanto enjoativos, e isso conta contra a versão do console da SEGA. Na versão do SNES a música é bem diferente, são remixes mais agitados das musicas do Arcade e os efeitos são bem mais saudáveis que os do Mega (que parecem estar com reumatismo).
Finalizando:
Raiden é um clássico dos shmups (embora a maioria dos gamers lembre de Aero Fighters) que já tem quase 20 anos e continua sendo tão divertido quanto na época do lançamento. É um daqueles jogos em que quando você derrota o último mestre, sai gritando com o primeiro no msn: “FUCK YEAH! BOSS DE MERDA, VOCÊ JÁ ERA! MORREU, DESGRAÇADO!” e seu contato fica com cara de bunda sem entender nada!
Nota:
Arcade/PS1: 9/10
Mega: 8/10
SNES: 8,5/10
Uma galeria de imagens pode ser acessada no meu blog:

2 comentários:

  1. Joguei demais Raiden Trad no fliper e no mega XD Tinha Raiden e Scramble Formation no bar, show demais, eu arrebentava com os aliens DO MAAAAAALLLL KKKKKKKKKKKKKK

    xD

    ResponderExcluir
  2. Muito bom por sinal, esse jogo marcou uma epoca em minha adolescencia.

    Jogos de tiros sempre atacam meus nervos! hahaah!

    Grande post ;)

    ResponderExcluir