26 de jun de 2010

Monaco GP (Playstation 2)



Monaco GP (Sega Ages 2500)

Produtora: 3D Ages
Distribuidora: SEGA
Plataforma: Playstation 2
Jogadores: 1-4
Gênero: Corrida

Pouco tempo após o fim do Dreamcast, a SEGA resolveu lançar remakes de seus clássicos, na segunda versão da série Sega Ages (A anterior saiu para o Saturn). O primeiro volume foi o fenomenal Phantasy Star Generation, digo fenomenal, pois apesar do orçamento do jogo ser bem baixo (chutaria como 3 sacos de bala juquinha mais uma caixa bis), o jogo recebeu um belo tapa no visual, no áudio e conta com parte do enredo reescrito, o que por incrível que pareça, deu mais consistência aos fatos. O Segundo volume da série (que teve 32 publicados entre 2002 e 2008) foi Monaco GP (não confundir com o clássico Super Monaco GP), que ficou exclusivo (em consoles, pois a versão original foi lançada 4 anos antes no arcade) do SG-1000, um dos antecessores do Master System e que é o game do qual falaremos hoje.



O Original:

Nesse parágrafo eu contaria a história do jogo, mas como é um fucking jogo de corrida, conto um pouco sobre a versão original de Monaco GP. Basicamente lembra o Road Fighters (que saiu um ano depois nos arcades), você tem um carro e tem que ultrapassar os outros pilotos, evitando colisões e a fucking maldita ambulância, você usa o direcional pra acelerar (botão cima), o botão pra baixo diminui a velocidade e um dos botões executa um salto (300 anos antes de Crazy Taxi 2). Enquanto você dirige, sua pontuação aumenta e basicamente... Esse é o objetivo do jogo, coisa bem Arcade-like, você tem algumas vidas e ponto final.

O Remake/Jogabilidade:

Primeiramente, a produtora soube aproveitar os pontos fortes do game original (acredite ou não, mesmo sendo graficamente simples e sem sonoridade, Monaco GP é viciante) e deu um banho de loja no jogo. Ele possui quatro modos, vamos falar sobre cada um deles aqui:

Arcade:

É o modo que lembra a versão SG-1000, corra por pontos com vidas, mas ele se divide em dois sub-modos, Arcade (que é a original com as alterações apenas gráficas) e o Original, que sem sombra de dúvidas foi o que deu o melhor gás ao jogo, com a adição de curvas, que são realizadas pelos botões L1 e R1, o que com certeza deu uma bela agilidade ao jogo. Ah, uma outra mudança em relação ao jogo de 79(versão arcade)/83(SG-1000), foi a adição da escolha de veículos, são cerca de sete, sendo três desbloqueáveis, com características diferentes.


Grand Prix:

Um modo "Pseudo-campeonato", você escolhe o carro e a dificuldade do campeonato. Seu objetivo é chegar antes do tempo se esgotar, e para isso, algumas coisas lhe ajudarão, como as estrelas coletáveis, que adicionam um contador de combo e aumentam a velocidade máxima, e ítens bem ao estilo Super Mario Kart, que aumentam o tamanho do carro, dão turbo, largam um óleo na pista, entre outras coisas. Na quinta pista, você corre contra um rival, e se não me engano, é aí que você tem que vencê-lo para abrir o campeonato seguinte e desbloquear seu carro.

Versus:

Também conhecido como diversão a rodo, nele, até quatro pessoas competem entre si em qualquer uma das pistas já desbloqueadas numa corrida de duas voltas, sem limite de tempo.

Time Trial:

Esse modo é meio auto-explicativo, corra e faça os melhores tempos, como em todo jogo de corrida.


Gráficos:

O jogo original era bem simples, e esse, apesar do visual ter levado um tapa e ficado bem bonito e convidativo, não perdeu a essência da simplicidade. Muitos provavelmente irão torcer o nariz, pois a visão é aérea (como a do original), porém, os menus estão bonitos e simples e os cenários são bem bacanas. Os carros são bem diferenciados entre si. Não há do que reclamar, ainda mais se levarmos em conta que o orçamento do jogo deve ter sido três sacos de jujuba e uma caixa de Pirulitos Zorro (é sério, os jogos dessa série Sega Ages 2500 eram vendidos por 2500 ienes).


Sons:

O jogo original possuia apenas o som do motor, o bip da ultrapassagem e o som da batida. Ou seja, era quase um jogo de Atari, aqui temos riffs de guitarra bacanas, sons bem legais e musicas bem compostas. Ficam um tanto repetitivas, mas ainda assim são legais e não enjoam. Além do mais, compare o original com o remake? Pra quem não tem nada, a metade já vale pelo dobro, oras!


Finalizando:

Se você puder, jogue a versão Playstation 2 Monaco GP, a Iso pela internet não é grande (menos de 100 MB) e é gravável em CD, o jogo é simples, direto e viciante, inclusive tava jogando com meu sobrinho hoje, antes de fazer o review. Resumindo: O jogo é show de bola, e em meio a tanta coisa ruim que saiu pro PS2, vale a pena jogar esse modesto remake de um jogo quase obscuro... Só não vá comparar com o Super Monaco GP que não tem nada a ver.


Nota: 10/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário